Projetos de Eficiência Energética

BOA ENERGIA NAS COMUNIDADES E AGENTES DA BOA ENERGIA

Esses projetos objetivam a legalização de unidades consumidoras irregulares por meio de ações sociais que incluem orientações para o cadastro da tarifa social, reforma das instalações elétricas internas das residências e a substituição de equipamentos ineficientes como, refrigeradores (por outros com classificação A Procel/Inmetro), chuveiros elétricos convencionais (por chuveiros inteligentes) e lâmpadas incandescentes (por lâmpadas fluorescentes de 15W).


Como resultados, destacam-se:


​​15.261 clientes beneficiados 

  • Investimento de R$ 6,5 milhões 
  • Economia de energia de 7.523 MWh/ano 
  • Redução de demanda de 4.558 kW 
  • 13.778 de lâmpadas substituídas 
  • 985 refrigeradores substituídos​


BOA ENERGIA SOLAR

O objetivo do projeto é conscientizar a população a respeito do uso eficiente e seguro da energia, tendo como foco clientes de baixa renda. Esse projeto promove ações de substituição das lâmpadas incandescentes por fluorescentes compactas e substituição dos chuveiros elétricos convencionais por chuveiros inteligentes com sistemas de aquecimento solar.


Resultados do projeto:

1.714 clientes beneficiados 

Investimento de R$ 6,3 milhões 

Economia de energia de 2.213,25 MWh/ano 

Redução de demanda de 3.624,13 kW 

1.556 chuveiros inteligentes instalados


BOA ENERGIA NAS ESCOLAS

Esse projeto promove o engajamento de educadores e alunos quanto ao uso correto da energia elétrica. O intuito é capacitar o corpo docente com base na metodologia Procel Educação e difundir os conceitos e informações básicas sobre energia por meio de visitas ao “Caminhão da Boa Energia”, que traz experiências lúdicas e interativas. Dessa forma, é possível combater o desperdício de energia, promover a conscientização da comunidade escolar e capacitar os alunos como agentes multiplicadores do uso eficiente e seguro da energia.

Ao final da visita, todas as escolas e alunos recebem um gibi sobre o tema, uma cartilha com atividades e passatempos, além de adesivos alusivos ao consumo consciente de energia e aos processos de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica.

Resultados obtidos:

Investimento de R$ 2,46 milhões 

95.673 alunos beneficiados 

971 professores capacitados 

17 municípios atendidos 

237 escolas beneficiadas


 


CONHEÇA O CAMINHÃO DA BOA ENERGIA


O caminhão é customizado e adaptado para funcionar como uma unidade móvel de ensino. Ele é equipado com experiências que demonstram o funcionamento da energia como, a bicicleta geradora, o arco voltaico e a pilha humana. Conta ainda com um painel interativo que simula o consumo de energia de uma residência, além de jogos e gibis. As crianças que visitam a unidade são acompanhadas por uma equipe de monitores treinados para replicar informações básicas sobre a energia elétrica, os caminhos que ela percorre até chegar às residências e como utiliza-la da melhor forma: com segurança e sem desperdício.

 

 

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM PRÉDIOS PÚBLICOS, ENTIDADES BENEFICENTES E HOSPITAIS PÚBLICOS

O Projeto Eficiência Energética em Prédios Públicos promoveu ações de melhoria nos sistemas de iluminação e refrigeração de edifícios públicos. Equipamentos de baixo rendimento energético foram substituídos por outros mais econômicos e eficientes. Assim, foi possível promover economia com os gastos de energia elétrica, proporcionar mais segurança e conforto para os usuários e melhorar as condições de trabalho dos funcionários. 

Resultados obtidos:

• 28 instituições beneficiadas (prédios públicos e entidades beneficentes);
• Investimento de R$ 1,1 milhão;
• Economia de energia de 1.363,36MWh/ano;
• Redução de demanda de 504,32kW;
• 22.010 lâmpadas substituídas;
• 187 aparelhos de ar-condicionado substituídos.


​PARCERIAS QUE FORTALECEM A ATUAÇÃO EM COMUNIDADES VULNERÁVEIS


As duas distribuidoras da EDP realizam programas em parceria com entidades locais visando melhorar ou manter o acesso à eletricidade e aos serviços de assistência ao consumidor. O foco dessas ações são os clientes de baixa renda ou em comunidades vulneráveis. 


• Tarifas especiais – A Tarifa Social de Energia Elétrica é um desconto na tarifa de energia, criado pela Lei nº 10.438/02, concedido para os primeiros 220kWh das famílias que estão inscritas no Cadastro Único dos Programas Sociais do governo federal. Os descontos variam de 10 a 65%, conforme o consumo;
• Acordos de pagamento de dívidas  flexibilizados – Todos os clientes que possuem a tarifa social podem negociar suas dívidas em até 50 parcelas sem juros. A cobrança é realizada na própria fatura de energia elétrica;
• Poupança de energia para reduzir o valor da conta – Os projetos de eficiência energética contribuem para a redução das contas de energia em hospitais, entidades beneficentes e indústrias, nas modalidades Contrato de Performance (organizações com fins lucrativos) e Doação (organizações sem fins lucrativos);
• Acordos com Prefeituras para cadastramento do CadÚnico – A EDP faz convênios com os municípios abrangidos pelo Projeto Agentes da Boa Energia, com o interesse de disponibilizar recurso para o cadastramento das famílias no CadÚnico do governo federal e assim prover o acesso à tarifa social de energia elétrica para as famílias que possuem esse direito e estão em situação vulnerável.


ACESSO À ENERGIA PARA POPULAÇÕES REMOTAS


A EDP garante a equidade no acesso à energia de forma confiável, segura e com qualidade, por meio de projetos que possibilitam o acesso de comunidades remotas à energia, cumprindo assim, com seu compromisso de empresa socialmente responsável.
Um exemplo disso, é o Projeto Ilha Escura, que viabiliza o acesso à eletricidade de uma comunidade localizada em  uma ilha em área não contemplada com o Programa Luz para Todos, do governo federal.

A ilha, inserida na área de concessão da EDP, conta com uma comunidade de 15 residências e está localizada em uma área de proteção ambiental. Para levar energia até a localidade, a EDP buscou iniciativas de microgeração distribuída – quando a energia elétrica é gerada pela própria pessoa que irá consumi-la. Foram instalados painéis solares para geração de energia elétrica e aquecimento de água. As famílias já disponibilizam de 52.000Wh/mês, quantidade de energia que permite alimentar uma casa com uma lâmpada, um refrigerador, um rádio, uma televisão com receptor de parabólica e um DVD.

TECNOLOGIA DE PONTA NO FORNECIMENTO DE ENERGIA ÀS COMUNIDADES REMOTAS DA AMAZÔNIA

O Projeto Luz Portátil Brasil tem como objetivo  levar tecnologia de ponta no fornecimento de energia para comunidades da Amazônia. A iniciativa nasceu de uma parceria entre EDP, IEDP, Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), The Portable Light Project (PLP), Projeto Saúde e Alegria (PSA) e Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas e da Auto Sustentabilidade (IDEAAS). A iniciativa tem o apoio de profissionais do Instituto Tecnológico de Massachusetts (MIT) e da Universidade de Harvard.

O Luz Portátil Brasil foca no desenvolvimento de tecnologia de iluminação portátil abastecida por energia solar. O recurso beneficia comunidades isoladas da Amazônia que não têm acesso à energia elétrica.

O projeto contemplou a entrega de kits de energia solar e iluminação a LED para 300 famílias, beneficiando 1.650 ribeirinhos que habitam o Rio Arapiuns, na região da cidade de Santarém, localizada no estado do Pará.

O Luz Portátil Brasil foi apresentado como case no 4º Seminário e Mostra Latinoamericana de Microgeração Distribuída. O fotógrafo João Pina registrou a utilização dos kits de energia solar e iluminação nas comunidades ribeirinhas e realizou uma exposição do material fotográfico no Instituto Tomie Ohtake.